Agenda de Eventos
Jul
11
Qui
Bairro com Alegria – Edição 2019
Jul 11 @ 21:30 – 23:45
Bairro com Alegria - Edição 2019

Bairro com Alegria – Edição 2019

Local: Centro Comunitário da Ponte de Anta

11 a 27 de Julho

Jul
12
Sex
45º Festival Internacional de Música de Espinho-FIME
Jul 12 todo o dia
45º Festival Internacional de Música de Espinho-FIME
45º Festival Internacional de Música de Espinho-FIME, arranca a 21 de junho, apresentando este ano artistas como o violinista David Grimal, o violoncelista Alexander Rudin, os pianistas Alexander Melnikov e Andreas Staier, e o Kronos Quartet.
Até 20 de julho, a Academia de Música de Espinho propõe assim para aquele que é um dos mais antigos festivais de música erudita do país um cartaz que, além de uma exposição com obras do pintor Mário Bismarck e uma oficina de voz jazz por Andreas Schaerer, integra um total de 16 concertos – entre os quais o que a 19 de julho celebrará o 50º aniversário da chegada do Homem à lua com um espetáculo por alunos da Escola Profissional de Música de Espinho sob a cúpula do planetário local.
Apostando num conjunto de “grandes intérpretes e criteriosas propostas programáticas”, a direção do FIME disponibiliza oito desses concertos a preços entre os quatro e oito euros, e os restantes terão entrada livre, como acontece com o que a 13 de julho levará ao exterior da Piscina Solário Atlântico o cantor e compositor brasileiro Marcos Valle e o que a 20 de julho apresentará na praça da Câmara Municipal o guitarrista Yamandú Costa, também do Brasil, com a Orquestra Clássica de Espinho.
O palco mais assíduo do FIME de 2019 será, no entanto, o Auditório da Academia, que, no arranque do festival, começa por receber o francês David Grimal. O programa desse concerto vai incidir sobre Brahms e Sarasate, com o violinista a conciliar o papel de solista com o de maestro, ao conduzir a Orquestra Clássica de Espinho por diferentes obras do Romantismo tardio.
22 de junho a mesma sala recebe os russos Alexander Rudin (violoncelo) e Alexander Melnikov (piano), para um espetáculo que também se inspira no período romântico e que apresentará obras de Rachmaninov, Chopin e Golowin. O concerto será precedido por uma palestra pelo musicólogo João Silva, que dará a conhecer a ligação entre Rachmaninov e Chopin.
Ainda em junho haverá quatro outras performances: no dia 27 a do Lisboa String Trio no jardim interior da Biblioteca Municipal José Marmelo e Silva, no dia 28 a da jovem violinista norte-americana Elicia Silverstein na Capela de Nossa Senhora da Ajuda, no dia 29 a do coletivo inglês ‘a capella’ The Gesualdo Six na Igreja Matriz de Espinho. No dia 30 a dos percussionistas portugueses Crassh no Auditório da Academia.
Os primeiros três desses concertos têm entrada livre, sendo que, devido à lotação dos espaços em causa, a direção do FIME recomenda levantamento prévio dos respetivos bilhetes.
programação de julho prossegue com o quarteto de cordas polaco MozART Group, que no dia 5 regressa ao Auditório de Espinho com uma prestação em torno da “malícia das cantigas medievais e dos vilancicos renascentistas”, e continua no dia 6 com um recital de pianoforte pelo alemão Andreas Staier, que para o efeito escolheu um repertório com fantasias, variações e sonatas de Mozart, Haydn e Bach.
No dia 8 estarão em destaque os músicos norte-americanos do Kronos Quartet, reconhecido pela forma como interpretam com instrumentos de cordas a obra de autores contemporâneos como Laurie Anderson, Philip Glass, John Coltrane e Steve Reich.
12 de julho o palco caberá ao já referido cantor suíço Andreas Schaerer, que se juntará ao acordeonista italiano Luciano Biondini e ao baterista camaronense Lucas Niggle para explorar “jazz fresco e inventivo”, e a 19 do mesmo mês, a cortina irá abrir-se para o Pérez, Potter,Cohen Quintet, que, reunindo músicos dos Estados Unidos, Panamá e Israel, empregará piano, saxofone-tenor, trompete e contrabaixo para materializar “composições originais inspiradas em mulheres escritoras”.
O cartaz do FIME de 2019 propõe ainda dois “concertos breves” por organistas, ambos na Igreja Matriz de Espinho: a 6 de julho o do inglês Jonathan Ayerst, que irá recorrer a improvisação e as obras do barroco alemão escritas por Bach e Buxtehude, e a 13 de julho o do português António Esteireiro, que selecionou para o efeito obras dos séculos XVII, XIX e XX assinadas por Nicolas de Grigny, César Franck e Marcel Dupré.
Jul
13
Sáb
45º Festival Internacional de Música de Espinho-FIME
Jul 13 todo o dia
45º Festival Internacional de Música de Espinho-FIME
45º Festival Internacional de Música de Espinho-FIME, arranca a 21 de junho, apresentando este ano artistas como o violinista David Grimal, o violoncelista Alexander Rudin, os pianistas Alexander Melnikov e Andreas Staier, e o Kronos Quartet.
Até 20 de julho, a Academia de Música de Espinho propõe assim para aquele que é um dos mais antigos festivais de música erudita do país um cartaz que, além de uma exposição com obras do pintor Mário Bismarck e uma oficina de voz jazz por Andreas Schaerer, integra um total de 16 concertos – entre os quais o que a 19 de julho celebrará o 50º aniversário da chegada do Homem à lua com um espetáculo por alunos da Escola Profissional de Música de Espinho sob a cúpula do planetário local.
Apostando num conjunto de “grandes intérpretes e criteriosas propostas programáticas”, a direção do FIME disponibiliza oito desses concertos a preços entre os quatro e oito euros, e os restantes terão entrada livre, como acontece com o que a 13 de julho levará ao exterior da Piscina Solário Atlântico o cantor e compositor brasileiro Marcos Valle e o que a 20 de julho apresentará na praça da Câmara Municipal o guitarrista Yamandú Costa, também do Brasil, com a Orquestra Clássica de Espinho.
O palco mais assíduo do FIME de 2019 será, no entanto, o Auditório da Academia, que, no arranque do festival, começa por receber o francês David Grimal. O programa desse concerto vai incidir sobre Brahms e Sarasate, com o violinista a conciliar o papel de solista com o de maestro, ao conduzir a Orquestra Clássica de Espinho por diferentes obras do Romantismo tardio.
22 de junho a mesma sala recebe os russos Alexander Rudin (violoncelo) e Alexander Melnikov (piano), para um espetáculo que também se inspira no período romântico e que apresentará obras de Rachmaninov, Chopin e Golowin. O concerto será precedido por uma palestra pelo musicólogo João Silva, que dará a conhecer a ligação entre Rachmaninov e Chopin.
Ainda em junho haverá quatro outras performances: no dia 27 a do Lisboa String Trio no jardim interior da Biblioteca Municipal José Marmelo e Silva, no dia 28 a da jovem violinista norte-americana Elicia Silverstein na Capela de Nossa Senhora da Ajuda, no dia 29 a do coletivo inglês ‘a capella’ The Gesualdo Six na Igreja Matriz de Espinho. No dia 30 a dos percussionistas portugueses Crassh no Auditório da Academia.
Os primeiros três desses concertos têm entrada livre, sendo que, devido à lotação dos espaços em causa, a direção do FIME recomenda levantamento prévio dos respetivos bilhetes.
programação de julho prossegue com o quarteto de cordas polaco MozART Group, que no dia 5 regressa ao Auditório de Espinho com uma prestação em torno da “malícia das cantigas medievais e dos vilancicos renascentistas”, e continua no dia 6 com um recital de pianoforte pelo alemão Andreas Staier, que para o efeito escolheu um repertório com fantasias, variações e sonatas de Mozart, Haydn e Bach.
No dia 8 estarão em destaque os músicos norte-americanos do Kronos Quartet, reconhecido pela forma como interpretam com instrumentos de cordas a obra de autores contemporâneos como Laurie Anderson, Philip Glass, John Coltrane e Steve Reich.
12 de julho o palco caberá ao já referido cantor suíço Andreas Schaerer, que se juntará ao acordeonista italiano Luciano Biondini e ao baterista camaronense Lucas Niggle para explorar “jazz fresco e inventivo”, e a 19 do mesmo mês, a cortina irá abrir-se para o Pérez, Potter,Cohen Quintet, que, reunindo músicos dos Estados Unidos, Panamá e Israel, empregará piano, saxofone-tenor, trompete e contrabaixo para materializar “composições originais inspiradas em mulheres escritoras”.
O cartaz do FIME de 2019 propõe ainda dois “concertos breves” por organistas, ambos na Igreja Matriz de Espinho: a 6 de julho o do inglês Jonathan Ayerst, que irá recorrer a improvisação e as obras do barroco alemão escritas por Bach e Buxtehude, e a 13 de julho o do português António Esteireiro, que selecionou para o efeito obras dos séculos XVII, XIX e XX assinadas por Nicolas de Grigny, César Franck e Marcel Dupré.
Bairro com Alegria – Edição 2019
Jul 13 @ 21:30 – 23:45
Bairro com Alegria - Edição 2019

Bairro com Alegria – Edição 2019

Local: Centro Comunitário da Ponte de Anta

11 a 27 de Julho

Jul
18
Qui
Bairro com Alegria – Edição 2019
Jul 18 @ 21:30 – 23:45
Bairro com Alegria - Edição 2019

Bairro com Alegria – Edição 2019

Local: Centro Comunitário da Ponte de Anta

11 a 27 de Julho

Jul
19
Sex
45º Festival Internacional de Música de Espinho-FIME
Jul 19 todo o dia
45º Festival Internacional de Música de Espinho-FIME
45º Festival Internacional de Música de Espinho-FIME, arranca a 21 de junho, apresentando este ano artistas como o violinista David Grimal, o violoncelista Alexander Rudin, os pianistas Alexander Melnikov e Andreas Staier, e o Kronos Quartet.
Até 20 de julho, a Academia de Música de Espinho propõe assim para aquele que é um dos mais antigos festivais de música erudita do país um cartaz que, além de uma exposição com obras do pintor Mário Bismarck e uma oficina de voz jazz por Andreas Schaerer, integra um total de 16 concertos – entre os quais o que a 19 de julho celebrará o 50º aniversário da chegada do Homem à lua com um espetáculo por alunos da Escola Profissional de Música de Espinho sob a cúpula do planetário local.
Apostando num conjunto de “grandes intérpretes e criteriosas propostas programáticas”, a direção do FIME disponibiliza oito desses concertos a preços entre os quatro e oito euros, e os restantes terão entrada livre, como acontece com o que a 13 de julho levará ao exterior da Piscina Solário Atlântico o cantor e compositor brasileiro Marcos Valle e o que a 20 de julho apresentará na praça da Câmara Municipal o guitarrista Yamandú Costa, também do Brasil, com a Orquestra Clássica de Espinho.
O palco mais assíduo do FIME de 2019 será, no entanto, o Auditório da Academia, que, no arranque do festival, começa por receber o francês David Grimal. O programa desse concerto vai incidir sobre Brahms e Sarasate, com o violinista a conciliar o papel de solista com o de maestro, ao conduzir a Orquestra Clássica de Espinho por diferentes obras do Romantismo tardio.
22 de junho a mesma sala recebe os russos Alexander Rudin (violoncelo) e Alexander Melnikov (piano), para um espetáculo que também se inspira no período romântico e que apresentará obras de Rachmaninov, Chopin e Golowin. O concerto será precedido por uma palestra pelo musicólogo João Silva, que dará a conhecer a ligação entre Rachmaninov e Chopin.
Ainda em junho haverá quatro outras performances: no dia 27 a do Lisboa String Trio no jardim interior da Biblioteca Municipal José Marmelo e Silva, no dia 28 a da jovem violinista norte-americana Elicia Silverstein na Capela de Nossa Senhora da Ajuda, no dia 29 a do coletivo inglês ‘a capella’ The Gesualdo Six na Igreja Matriz de Espinho. No dia 30 a dos percussionistas portugueses Crassh no Auditório da Academia.
Os primeiros três desses concertos têm entrada livre, sendo que, devido à lotação dos espaços em causa, a direção do FIME recomenda levantamento prévio dos respetivos bilhetes.
programação de julho prossegue com o quarteto de cordas polaco MozART Group, que no dia 5 regressa ao Auditório de Espinho com uma prestação em torno da “malícia das cantigas medievais e dos vilancicos renascentistas”, e continua no dia 6 com um recital de pianoforte pelo alemão Andreas Staier, que para o efeito escolheu um repertório com fantasias, variações e sonatas de Mozart, Haydn e Bach.
No dia 8 estarão em destaque os músicos norte-americanos do Kronos Quartet, reconhecido pela forma como interpretam com instrumentos de cordas a obra de autores contemporâneos como Laurie Anderson, Philip Glass, John Coltrane e Steve Reich.
12 de julho o palco caberá ao já referido cantor suíço Andreas Schaerer, que se juntará ao acordeonista italiano Luciano Biondini e ao baterista camaronense Lucas Niggle para explorar “jazz fresco e inventivo”, e a 19 do mesmo mês, a cortina irá abrir-se para o Pérez, Potter,Cohen Quintet, que, reunindo músicos dos Estados Unidos, Panamá e Israel, empregará piano, saxofone-tenor, trompete e contrabaixo para materializar “composições originais inspiradas em mulheres escritoras”.
O cartaz do FIME de 2019 propõe ainda dois “concertos breves” por organistas, ambos na Igreja Matriz de Espinho: a 6 de julho o do inglês Jonathan Ayerst, que irá recorrer a improvisação e as obras do barroco alemão escritas por Bach e Buxtehude, e a 13 de julho o do português António Esteireiro, que selecionou para o efeito obras dos séculos XVII, XIX e XX assinadas por Nicolas de Grigny, César Franck e Marcel Dupré.
Jul
20
Sáb
45º Festival Internacional de Música de Espinho-FIME
Jul 20 todo o dia
45º Festival Internacional de Música de Espinho-FIME
45º Festival Internacional de Música de Espinho-FIME, arranca a 21 de junho, apresentando este ano artistas como o violinista David Grimal, o violoncelista Alexander Rudin, os pianistas Alexander Melnikov e Andreas Staier, e o Kronos Quartet.
Até 20 de julho, a Academia de Música de Espinho propõe assim para aquele que é um dos mais antigos festivais de música erudita do país um cartaz que, além de uma exposição com obras do pintor Mário Bismarck e uma oficina de voz jazz por Andreas Schaerer, integra um total de 16 concertos – entre os quais o que a 19 de julho celebrará o 50º aniversário da chegada do Homem à lua com um espetáculo por alunos da Escola Profissional de Música de Espinho sob a cúpula do planetário local.
Apostando num conjunto de “grandes intérpretes e criteriosas propostas programáticas”, a direção do FIME disponibiliza oito desses concertos a preços entre os quatro e oito euros, e os restantes terão entrada livre, como acontece com o que a 13 de julho levará ao exterior da Piscina Solário Atlântico o cantor e compositor brasileiro Marcos Valle e o que a 20 de julho apresentará na praça da Câmara Municipal o guitarrista Yamandú Costa, também do Brasil, com a Orquestra Clássica de Espinho.
O palco mais assíduo do FIME de 2019 será, no entanto, o Auditório da Academia, que, no arranque do festival, começa por receber o francês David Grimal. O programa desse concerto vai incidir sobre Brahms e Sarasate, com o violinista a conciliar o papel de solista com o de maestro, ao conduzir a Orquestra Clássica de Espinho por diferentes obras do Romantismo tardio.
22 de junho a mesma sala recebe os russos Alexander Rudin (violoncelo) e Alexander Melnikov (piano), para um espetáculo que também se inspira no período romântico e que apresentará obras de Rachmaninov, Chopin e Golowin. O concerto será precedido por uma palestra pelo musicólogo João Silva, que dará a conhecer a ligação entre Rachmaninov e Chopin.
Ainda em junho haverá quatro outras performances: no dia 27 a do Lisboa String Trio no jardim interior da Biblioteca Municipal José Marmelo e Silva, no dia 28 a da jovem violinista norte-americana Elicia Silverstein na Capela de Nossa Senhora da Ajuda, no dia 29 a do coletivo inglês ‘a capella’ The Gesualdo Six na Igreja Matriz de Espinho. No dia 30 a dos percussionistas portugueses Crassh no Auditório da Academia.
Os primeiros três desses concertos têm entrada livre, sendo que, devido à lotação dos espaços em causa, a direção do FIME recomenda levantamento prévio dos respetivos bilhetes.
programação de julho prossegue com o quarteto de cordas polaco MozART Group, que no dia 5 regressa ao Auditório de Espinho com uma prestação em torno da “malícia das cantigas medievais e dos vilancicos renascentistas”, e continua no dia 6 com um recital de pianoforte pelo alemão Andreas Staier, que para o efeito escolheu um repertório com fantasias, variações e sonatas de Mozart, Haydn e Bach.
No dia 8 estarão em destaque os músicos norte-americanos do Kronos Quartet, reconhecido pela forma como interpretam com instrumentos de cordas a obra de autores contemporâneos como Laurie Anderson, Philip Glass, John Coltrane e Steve Reich.
12 de julho o palco caberá ao já referido cantor suíço Andreas Schaerer, que se juntará ao acordeonista italiano Luciano Biondini e ao baterista camaronense Lucas Niggle para explorar “jazz fresco e inventivo”, e a 19 do mesmo mês, a cortina irá abrir-se para o Pérez, Potter,Cohen Quintet, que, reunindo músicos dos Estados Unidos, Panamá e Israel, empregará piano, saxofone-tenor, trompete e contrabaixo para materializar “composições originais inspiradas em mulheres escritoras”.
O cartaz do FIME de 2019 propõe ainda dois “concertos breves” por organistas, ambos na Igreja Matriz de Espinho: a 6 de julho o do inglês Jonathan Ayerst, que irá recorrer a improvisação e as obras do barroco alemão escritas por Bach e Buxtehude, e a 13 de julho o do português António Esteireiro, que selecionou para o efeito obras dos séculos XVII, XIX e XX assinadas por Nicolas de Grigny, César Franck e Marcel Dupré.
Bairro com Alegria – Edição 2019
Jul 20 @ 21:30 – 23:45
Bairro com Alegria - Edição 2019

Bairro com Alegria – Edição 2019

Local: Centro Comunitário da Ponte de Anta

11 a 27 de Julho

Jul
25
Qui
Festival Internacional de Folclore – Tradições do Mundo 2019
Jul 25 @ 21:30 – 23:45
Festival Internacional de Folclore – Tradições do Mundo 2019

27 Julho / 21:30

Festival Internacional de Folclore – Tradições do Mundo 2019

Local: Praça Dr. José Salvador – Espinho

Entrada livre

 

25 de Julho de 2019
21:45 horas – Amostra folclórica: Breve atuação do Zagreb Folk Dance Ensemble – Croácia, na Praia de Espinho.

27 de Julho de 2019
16:30 horas – Arruada c/ Pauliteiros, da Associação Cultural e Recreativa de Malhadas – Miranda ddo Douro.
17:00 horas – Concentração dos Grupos que vão participar no Festival.
17:15 horas – Içar das bandeiras.
– Em cerimónia preparada, içar as Bandeiras de Espinho, da Federação, a Nacional, as dos
Países estrangeiros presentes no Festival, e a da Associação do Folclore do Concelho de Espinho.
17:45 horas – Receção oficial.
– Receção na Câmara Municipal pelos Presidentes da Câmara, da Associação de Folclore de
Espinho e da Federação do Folclore Português.
– Com a presença de toda a Vereação, Presidente Assembleia Municipal, Presidentes de todas
as Juntas de Freguesia e Presidentes das respetivas Assembleias.
– Presença ainda dos Convidados a escolher.
– Presença de todos os Grupos Nacionais e Estrangeiros intervenientes no Festival.
– Presença das delegações dos quatro Grupos do Concelho.
– Presença do Público.
– Participação musical abrir e fechar a recepção oficial com o grupo Baladas Nostalgia.
– Para, além da receção, breves discursos e entrega de lembranças.
– Apontamento musical a abrir e fechar a Sessão Solene pelo “Grupo Baladas e
Nostalgia”.
19:00 horas – Jantar.
– No Restaurante Luso-Venezolano para os convidados, Grupos intervenientes no Festival,
Guias e Diretores da Associação.
– Ninguém deve jantar trajado.
20:00 horas – Trajar.
– Todos os Grupos devem trajar.
20:30 horas – Saída do Restaurante.
– Já trajados, os Grupos devem sair em direção aos locais pré-definidos.
21:00 horas – Desfile Etnográfico.

– Pela ordem previamente estabelecida, desfilam os Grupos participantes no Festival.
– Os Grupos concentram-se na Rua 19, com início o desfile no cruzamento com a Rua 14.
– A ordem é a mesma da atuação, excepto o Grupo Cultural e Recreativo Semente que será o
último no desfile e ao passar pelo palco já lá fica para a sua atuação.
– Quando o primeiro Grupo do desfile der entrada no largo da Câmara, será dada a abertura
simbólica do espetáculo pela entidade pré-estabelecida.
– Na passagem pelo palco, desde o início da entrada até ao fim da saída, cada Grupo não pode
ultrapassar os dois minutos.
21:45 horas – Festival de Folclore: O palco para o espetáculo está situado frente ao edifício do
Município.
Grupos Participantes e respetiva ordem de participação:
1 – Associação Cultural e Recreativa de Malhadas – Miranda do Douro – 21h45
2 – Grupo Cultural e Recreativo Semente – Anta/Espinho (Douro Litoral Sul) – 21h50
3 – Rancho Folclórico Sociedade R. Educativa da Romeira – Santarém (Ribatejo) – 22h05
4 – Rancho Folclórico de Nespereira – Gouveia (Beira Alta) – 22h25
5 – Danzart Bolívia – Bolívia – 22h40
6 – Grupo Folclórico de Nespereira – Cinfães (Entre Douro e Minho) – 22h55
7 – Rancho Folclórico S. Pedro de Roriz – Santo Tirso (Baixo Minho) – 23h10
8 – Zagreb Folk Dance Ensemble – Croácia – 23h25
Grupos Nacionais, 15 (quinze) minutos cada, Grupos Estrangeiros com 20 (vinte) minutos (No total serão
120 (cento e vinte) minutos.
23:50 horas – Despedidas.
– Sem que o último Grupo saia do palco, subirão todos os Grupos e, em conjunto, Grupos e
público, cantarão o hino “Aleluia”.
– As bandeiras sobem ao palco e ficam na linha da frente, a meio do hino, apagar-se-ão as
luzes e será lançado o fogo-de-artifício.
– Terminado o fogo, acende-se a luzes.
24:00 horas – Encerramento do Festival de Folclore.

Jul
26
Sex
Pistons and Fins 2019
Jul 26 todo o dia

26 a 28 Julho

Pistons and Fins 2019

Engine & Boardculture Festival

Tendo por base a cultura urbana, o culto por motas, carros e surf, o Pistons And Fins apresenta, na sua 3ª Edição, um programa diversificado, completo e para todos os gostos. A não perder as competições de surf, as drag races, os concertos, que se farão acompanhar de boa música e street food a preceito.

Esplanada Praia da Baía

Jul
27
Sáb
62º Aniversário da Banda Musical S. Tiago de Silvalde
Jul 27 todo o dia
62º Aniversário da Banda Musical S. Tiago de Silvalde

“A Direçao da BMSTS convida os sócios e amigos a tomar parte das comemorações do 62 Aniversário, a realizar no próximo dia 27 de julho, com a nossa já habitual Eucaristia de aniversário e romagem ao cemitério em memória dos sócios e músicos já falecidos. Após, segue-se o desfile da Banda até a sua casa de ensaios. As comemorações culminam com o jantar no Restaurante Flor da Corga, pelas 20h.

Pedimos confirmação do jantar até dia 23 de julho, junto de um membro da direção. Aguardamos pela vossa presença massiva neste dia que será mais um marco na história da instituição. “

Pistons and Fins 2019
Jul 27 todo o dia

26 a 28 Julho

Pistons and Fins 2019

Engine & Boardculture Festival

Tendo por base a cultura urbana, o culto por motas, carros e surf, o Pistons And Fins apresenta, na sua 3ª Edição, um programa diversificado, completo e para todos os gostos. A não perder as competições de surf, as drag races, os concertos, que se farão acompanhar de boa música e street food a preceito.

Esplanada Praia da Baía

Bairro com Alegria – Edição 2019
Jul 27 @ 21:30 – 23:45
Bairro com Alegria - Edição 2019

Bairro com Alegria – Edição 2019

Local: Centro Comunitário da Ponte de Anta

11 a 27 de Julho

Festival Internacional de Folclore – Tradições do Mundo 2019
Jul 27 @ 21:30 – 23:45
Festival Internacional de Folclore – Tradições do Mundo 2019

27 Julho / 21:30

Festival Internacional de Folclore – Tradições do Mundo 2019

Local: Praça Dr. José Salvador – Espinho

Entrada livre

 

25 de Julho de 2019
21:45 horas – Amostra folclórica: Breve atuação do Zagreb Folk Dance Ensemble – Croácia, na Praia de Espinho.

27 de Julho de 2019
16:30 horas – Arruada c/ Pauliteiros, da Associação Cultural e Recreativa de Malhadas – Miranda ddo Douro.
17:00 horas – Concentração dos Grupos que vão participar no Festival.
17:15 horas – Içar das bandeiras.
– Em cerimónia preparada, içar as Bandeiras de Espinho, da Federação, a Nacional, as dos
Países estrangeiros presentes no Festival, e a da Associação do Folclore do Concelho de Espinho.
17:45 horas – Receção oficial.
– Receção na Câmara Municipal pelos Presidentes da Câmara, da Associação de Folclore de
Espinho e da Federação do Folclore Português.
– Com a presença de toda a Vereação, Presidente Assembleia Municipal, Presidentes de todas
as Juntas de Freguesia e Presidentes das respetivas Assembleias.
– Presença ainda dos Convidados a escolher.
– Presença de todos os Grupos Nacionais e Estrangeiros intervenientes no Festival.
– Presença das delegações dos quatro Grupos do Concelho.
– Presença do Público.
– Participação musical abrir e fechar a recepção oficial com o grupo Baladas Nostalgia.
– Para, além da receção, breves discursos e entrega de lembranças.
– Apontamento musical a abrir e fechar a Sessão Solene pelo “Grupo Baladas e
Nostalgia”.
19:00 horas – Jantar.
– No Restaurante Luso-Venezolano para os convidados, Grupos intervenientes no Festival,
Guias e Diretores da Associação.
– Ninguém deve jantar trajado.
20:00 horas – Trajar.
– Todos os Grupos devem trajar.
20:30 horas – Saída do Restaurante.
– Já trajados, os Grupos devem sair em direção aos locais pré-definidos.
21:00 horas – Desfile Etnográfico.

– Pela ordem previamente estabelecida, desfilam os Grupos participantes no Festival.
– Os Grupos concentram-se na Rua 19, com início o desfile no cruzamento com a Rua 14.
– A ordem é a mesma da atuação, excepto o Grupo Cultural e Recreativo Semente que será o
último no desfile e ao passar pelo palco já lá fica para a sua atuação.
– Quando o primeiro Grupo do desfile der entrada no largo da Câmara, será dada a abertura
simbólica do espetáculo pela entidade pré-estabelecida.
– Na passagem pelo palco, desde o início da entrada até ao fim da saída, cada Grupo não pode
ultrapassar os dois minutos.
21:45 horas – Festival de Folclore: O palco para o espetáculo está situado frente ao edifício do
Município.
Grupos Participantes e respetiva ordem de participação:
1 – Associação Cultural e Recreativa de Malhadas – Miranda do Douro – 21h45
2 – Grupo Cultural e Recreativo Semente – Anta/Espinho (Douro Litoral Sul) – 21h50
3 – Rancho Folclórico Sociedade R. Educativa da Romeira – Santarém (Ribatejo) – 22h05
4 – Rancho Folclórico de Nespereira – Gouveia (Beira Alta) – 22h25
5 – Danzart Bolívia – Bolívia – 22h40
6 – Grupo Folclórico de Nespereira – Cinfães (Entre Douro e Minho) – 22h55
7 – Rancho Folclórico S. Pedro de Roriz – Santo Tirso (Baixo Minho) – 23h10
8 – Zagreb Folk Dance Ensemble – Croácia – 23h25
Grupos Nacionais, 15 (quinze) minutos cada, Grupos Estrangeiros com 20 (vinte) minutos (No total serão
120 (cento e vinte) minutos.
23:50 horas – Despedidas.
– Sem que o último Grupo saia do palco, subirão todos os Grupos e, em conjunto, Grupos e
público, cantarão o hino “Aleluia”.
– As bandeiras sobem ao palco e ficam na linha da frente, a meio do hino, apagar-se-ão as
luzes e será lançado o fogo-de-artifício.
– Terminado o fogo, acende-se a luzes.
24:00 horas – Encerramento do Festival de Folclore.

Baile Folk
Jul 27 @ 22:00 – 23:45
Baile Folk

Baile Folk com danças europeias encerra atividades do Animartes

Antes da habitual interrupção do Animartes em agosto, há ainda uma derradeira iniciativa pública: um Baile Folk, promovido no âmbito da modalidade de Danças Europeias e com data marcada para SÁBADO, 27 de julho, às 22 horas. Quem for meia hora mais cedo poderá tomar parte num pequeno workshop de introdução às danças mais simples, originárias de diversos países e com ritmos e coreografias muito variadas, em pares e em grupo. É para todas as idades e não é preciso saber dançar nem ter par, basta aparecer e divertir-se.

Cooperativa Nascente