Espetáculo | Verdegar

Espetáculo | Verdegar
When:
04/05/2019 @ 21:30 – 23:30
2019-05-04T21:30:00+01:00
2019-05-04T23:30:00+01:00

Verdegar é o mais recente espetáculo do NEFUP, um coletivo com uma história de trinta e seis anos de vida, de pesquisas e recolhas, viagens e partilhas. Mostrar e preservar a nossa cultura popular tradicional é o que queremos e gostamos de fazer.
Desta vez, mudámos o nosso método de pesquisa, mas mantivemos o mesmo objetivo. Não procurámos as tradições, mas as estórias. Centrámo-nos na região do Douro Verde e na primeira metade do século XX.
Verdegar nasce da memória: a individual e a coletiva, a documentada e a imaginada, a nossa e a dos outros. Verdegar reproduz estórias verdadeiras, recordadas e relatadas por quem viveu o trabalho, o amor e a festa, em condições difíceis e longe de tudo, apesar de ser curta a distância para a grande cidade.
No entanto, como quem conta um conto acrescenta um ponto, foram vários os fios que fomos entrelaçando numa teia de ficção e realidade: por um lado, as pessoas que ouvimos, entre os setenta e os cem anos, falaram-nos da sua meninice e juventude, mas também dos seus antepassados e das suas experiências, com o olhar toldado pela nostalgia e a clarividência dos muitos anos vividos; por outro, nós próprios fomos tecendo redes de conexão entre os seus relatos e aquilo que imaginávamos, nos tinha sido contado ou tínhamos lido e investigado.
Hesitações, dúvidas e incertezas percorreram a nossa escrita durante muitos meses, mas encontrámos a inspiração em Entre-Os-Rios e Baião, em Amarante e Cinfães, Resende e Penafiel, ao passarmos o Douro em Castelo de Paiva, ao comermos o bazulaque de Baião e ao bebermos o verde macio destas encostas e vales. Procurámos os paus de lódão de Gestaçô e as melhores laranjas deste Douro, que juntámos aos bombos de Amarante, num toque de rigor e tradição, como sempre fazemos com a identidade do país que somos. O resultado é este Verdegar: uma leitura subjetiva e muito criativa de estórias de vida, que centrámos temporalmente na década de 40 do século passado, mas que se refere a mais de cem anos de vivências e tradições.
Escolhemos juntar em Verdegar as duas margens do rio, tantas vezes voltadas de costas uma para a outra: musicalmente, por cancioneiros valiosíssimos e quase desconhecidos, de Resende ao Marco de Canaveses; ao nível da dança, através da inclusão de algumas bem antigas, que ainda hoje surgem espontaneamente em qualquer baile da região, mas também daquelas que, pela década de 40, começavam a entrar em desuso, sendo até hoje perpetuadas apenas no contexto dos grupos folclóricos.
Assumimos Verdegar como um palimpsesto de influências, fontes e vontades que é, à nossa maneira, uma homenagem sentida a quem connosco partilhou estórias de vida e, através deles, a várias gerações que viveram (vivem) e construíram (constroem), durante mais de um século, a paisagem humana da região do Douro Verde.

Bilhetes: 5€
À venda no local

Centro Multimeios de Espinho / 4 Maio / 21:30

Artigos Relacionados