Regime de Fruta Escolar chegou às Escolas

O desenvolvimento de doenças graves, como a obesidade e a diabetes, bem como a degradação dos padrões alimentares dos mais novos, levaram a Câmara Municipal de Espinho a implementar, desde o ano letivo 2009/2010, o Regime de Fruta Escolar.
Este projeto da autarquia resulta de uma iniciativa de âmbito europeu e visa capacitar as crianças e famílias para adoção de práticas alimentares mais saudáveis que levem a um aumento, de forma sustentável, do consumo de fruta e legumes.
O Município de Espinho durante o ano letivo 2021/2022, e à semelhança dos anos anteriores, promove o Programa “Regime de Fruta Escolar”, abrangendo 1064 alunos do 1.º ciclo do ensino básico da rede pública, financiado no âmbito do programa europeu de distribuição de frutas nas escolas. No programa, a fruta é distribuída dois dias por semana, durante 30 semanas, por ano letivo.
Este ano, e com o objetivo de incentivar o consumo semanal dos hortofrutícolas distribuídos, o município criou ainda uma personagem – “O Frutecas” que ilustra uma caderneta, com atividades e passatempos relacionados com a temática. Com cada distribuição semanal, ao longo do ano letivo, será disponibilizado um cromo para ser colado na mesma, caso o aluno tenha consumido, devidamente, a sua porção de fruta e legumes. Após o preenchimento da caderneta, os alunos poderão elaborar e ilustrar uma história que será selecionada para a caderneta do próximo ano.
As primeiras cadernetas foram entregues na passada sexta feira, na Escola Básica de Paramos pela vereadora com o pelouro da Educação, Maria Manuel Cruz, referindo a relevância desta iniciativa na promoção de hábitos alimentares benéficos para a saúde das crianças e para a redução dos custos sociais e económicos associados a regimes alimentares menos saudáveis.