Rui Reininho subiu ao palco do Auditório de Espinho – Academia

Falar de Rui Reininho é falar obrigatoriamente da música Portuguesa dos últimos 40 anos… Durante anos Reininho era a imagem dos GNR, a sua banda de sempre e que nuca o desviou do seu caminho musical. O seu primeiro disco a solo editado em 2008 não fugia muito daquilo que apresentava juntamente com os seus companheiros de vida.

Mas Rui Reininho é muito mais que o pop rock dos GNR. Rui Reininho é um artista no verdadeiro sentido da palavra. A pandemia fez reavivar esse desejo do artista com a cumplicidade de Paulo Borges.
20.000 éguas submarinas” é o resultado de uma aventura música construída no universo espiritual de Reininho bebendo nas fábulas de Julio Verne a inspiração caótica dos temas apresentados.
Longe do registo que habituou a sua legião de fãs ao longo dos anos, Reininho surgiu este sábado, em palco, no Auditório de Espinho, rodeado de um conjunto de objectos sonoros das mais diversas origens.

LER MAIS

Fotos: Auditório de Espinho – Academia
Texto: Glam Magazine / Paulo Homem de Melo