Aprovadas candidaturas para Rede de Ciclovias e Beneficiação das Paragens de Autocarro no concelho de Espinho

Aprovadas candidaturas para Rede de Ciclovias e Beneficiação das Paragens de Autocarro no concelho de Espinho
McDonalds_530x80_baixonoticia
McDonalds_530x80_baixonoticia

Mobilidade Urbana – Aprovadas candidaturas apresentadas pela CME para Rede de Ciclovias e Beneficiação das Paragens de Autocarro no concelho de Espinho

No âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano – PEDU, foram recentemente aprovadas duas operações no âmbito da componente da mobilidade urbana sustentável (PAMUS): a “Beneficiação das Paragens de Autocarro no Concelho de Espinho” e a “Rede de Ciclovias no Concelho de Espinho”.

Refere-se a duas operações inseridas na estratégia da mobilidade do Município, que integra 2 projetos previstos no quadro de Compromissos do contrato do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU/PAMUS).

O plano sistematiza um conjunto de medidas de adaptação e atenuação energética, operacionalizadas através da construção de uma rede de ciclovias, percursos pedonais e pequenos interfaces intermodais. Pretende equilibrar a afetação do espaço público a diversos modos de transporte, de forma a potenciar a utilização de modos de deslocação saudáveis e sustentáveis.

Em concreto, trata-se de promover o uso ciclável e melhorar a atratividade do transporte coletivo, de forma a aumentar os índices de utilização de ambos, reduzir o uso do automóvel e consequentemente a as emissões de CO2.

 

Beneficiação das Paragens de Autocarro do Concelho de Espinho

Financiamento no âmbito do Programa NORTE 2020

O projeto insere-se na estratégia de mobilidade do Município e visa dotar a cidade de uma Rede de Interfaces funcional e localizadas em pontos estratégicos, uma vez que as existentes são em número reduzido e sem as condições de conforto e acessibilidade necessárias.

Tem como objetivos gerais:

  • Melhorar a rede de micro-interfaces, em concreto os locais de paragem de autocarro, com vista a melhorar a sua inserção no território e organização funcional;
  • Melhorar as condições de acessibilidade e de mobilidade, para além das condições de conforto dos respetivos locais de paragem, de forma a promover um acréscimo do uso do transporte público, em concreto do transporte rodoviário, em detrimento do uso do transporte individual.
  • Promover uma melhoria da imagem da cidade, com vantagens para a vivência urbana e o Turismo sustentável

Trata-se de um projeto de Beneficiação das Paragens de Autocarro no Concelho de Espinho, que abrange 109 abrigos e 20 totens, dispersos pelas várias freguesias do concelho, no total de 129 micro-interfaces.

 

Rede de Ciclovias no Concelho de Espinho

Financiamento no âmbito do Programa NORTE 2020

A operação visa organizar a acessibilidade e mobilidade numa perspetiva de sustentabilidade ambiental.

Pretende contribuir para a qualificação do espaço público e para o aumento da qualidade de vida das pessoas enquanto cidadãos menos dependentes da economia do carbono.

Inclui a construção de uma Rede de Ciclovias no total com cerca de 7.545 ml nos principais eixos urbanos da cidade: Rua 33 e Rua 19 (na direção nascente-poente) e Rua 20 (na direção norte-sul), a interligar com a rede de ciclovias já existentes, a ciclovia em construção ao longo do Canal Ferroviário, no âmbito da empreitada do ReCaFE, bem como com a ciclovia litoral, já existente.

A operação integra assim, a realização 4 ciclovias previstas na contratualização do PEDU, na componente do PAMUS:

– Reabilitação da Rua 33 e Rua da Nave, até ao Centro Escolar de Anta – Espinho;

– Reabilitação da Rua 20 (entre a Rua 33 e a entrada norte da cidade até ao concelho de Vila Nova de Gaia;

– Requalificação da Rua 19, desde a Rua 22 até à Rotunda.

– Reabilitação da Zona Norte do Concelho, entre a área Requalificada do RECAFE e a Rua 20;

O projeto de implementação da rede de ciclovias inclui a reestruturação dos espaços-canal nos referidos eixos estratégicos, proporcionando a libertação de espaço automóvel para o modo ciclável.

Prevê a introdução de medidas de acalmia de tráfego intrínsecas aos conceitos mais recentes de ruas partilhadas, entre o modo ciclável, pedonal ou destinado à circulação automóvel.

Permite dotar a cidade de uma rede de ciclovias, que permitam assegurar sem interrupções, a circulação em modo ciclável nas viagens quotidianas de casa – trabalho- casa e de casa – escola-casa, de forma a reduzir o uso do automóvel e consequentemente reduzir as emissões de carbono.

Pretende-se interligar alguns pontos do concelho, sobretudo  aqueles onde estão localizados alguns dos equipamentos escolares, culturais e desportivos, com a parte mais comercial e central da cidade, com a Ciclovia no âmbito da Empreitada de Requalificação do Espaço canal Ferroviário da Cidade de Espinho (ReCaFE), em construção.

Trata-se de aproveitar as excelentes condições naturais: topografia plana, clima ameno, associadas à malha urbana ortogonal existente, facilitadora de ganhos de visibilidade na circulação, para promover o modo ciclável e pedonal.

Trata-se de otimizar a vantagem de Espinho constituir uma cidade consolidada, com uma dimensão adequada, com excelentes condições para deslocações em modo de bicicleta, num raio de 5 Km, abrangendo a quase totalidade do território do concelho.

CME

Artigos Relacionados