Voleibol de Praia: Espinho Open regressa em 2019 às areias da cidade

Voleibol de Praia: Espinho Open regressa em 2019 às areias da cidade
McDonalds_530x80_baixonoticia
Espinho vai voltar a receber a elite do Voleibol de Praia de 17 a 21 de julho do próximo ano, quando acolher o Espinho Open 2019, etapa de quatro estrelas, o segundo maior nível do Circuito Mundial (FIVB Beach Volleyball World Tour), numa organização da Federação Portuguesa de Voleibol com o apoio e colaboração da Câmara Municipal de Espinho.
No Espinho Open 2018, igualmente de 4**** do Circuito Mundial de Voleibol de Praia, as grandes vencedoras foram as duplas Janis Smedins/Aleksandrs Samoilovs (Letónia) e Taliqua Clancy e Artacho Del Solar (Austrália).
Nessa 15ª edição de masculinos, os letões superaram (2-1: 21-13, 19-21 e 22-20) na final os brasileiros Ricardo Santos e Gustavo Albrecht, num jogo que empolgou o público e que perdurará certamente na memória de todos aqueles que lotaram o estádio montado na Praia da Baía, criando uma animação extra num excelente espectáculo de Voleibol de Praia e augurando um futuro promissor à etapa espinhense, após um hiato de 10 anos.
Para além do excelente ambiente criado à volta do Espinho Open pelos sponsors e/ou parceiros da FPV, como Honda, Lidl, Hospital de Santa Maria (presentes com Stands na competição), ActivoBank, Kinder + Sports, Mikasa, Vitalis, AFF Sports, 4ntep e, sobretudo, Câmara de Espinho, entre outros, saliente-se o regresso à Capital do Voleibol de Praia de dois ícones da modalidade.
O primeiro foi o já mencionado Ricardo Santos, de 43 anos, nome indissociável da competição espinhense. Com 11 presenças no Espinho Open, oito medalhas, sendo cinco de ouro, o brasileiro é já uma lenda viva da história da competição portuguesa e do Voleibol de Praia mundial.
A outra personalidade presente foi a inevitável Kerri Walsh Jennings. Aos 39 anos, a norte-americana, de 1.88 metros de altura, é um dos nomes maiores do Voleibol de Praia mundial, tendo sido, entre outros êxitos relevantes, tricampeã olímpica (2004, 2008 e 2012), com Misty May, com quem venceu por duas vezes em Espinho (2001 e 2005).
As duplas portuguesas presentes no Quadro Principal, Gabriela Coelho / Vanessa Paquete e Roberto Reis / Fabrício Silva (Kibinho) classificaram-se ambas no 17º lugar, tendo somado 320 pontos cada uma no ranking da FIVB.
Na Fase de Qualificação, os portugueses não foram tão felizes. Luís Gomes e José Silva perderam com os sérvios Kolaric e Basta e Luís Freitas e Tiago Pereira com os holandeses Dirk Boehlé e Steven Van de Velde.
Joana Gonzalez/Daniana Esteves Maria Tinoco/Rita Fernandes foram eliminadas respectivamente pelas polacas Gruszczynska e Wachowicz e pelas letãs Alise Lece e Ilze Liepinlauska, enquanto a dupla brasileira Ana Patrícia/Rebecca Silva superou Brígida Ferreira/Daniela Loureiro.
Em termos globais, o Espinho Open 2019 será a 16ª edição da etapa espinhense de masculinos e a 11ª de femininos. Um rol de competições que celebrizaram nomes como Emanuel Rego e Ricardo Santos, a dupla estrangeira predilecta do público espinhense.
Juntos, os brasileiros venceram três edições (2003, 2004 e 2007) e individualmente por cinco vezes (Emanuel e Ricardo) levaram o ouro.
Fonte:

Artigos Relacionados