Entre o histórico e o contemporâneo com o Borealis Ensemble em Espinho

Helena Marinho e António Carrilho apresentam na sexta-feira, dia 15 de outubro, o seu projeto “Música Nova para Instrumentos Antigos”, no Auditório de Espinho | Academia.

Um repertório de contrastes para apresentar o projeto “Música Nova para Instrumentos Antigos”. Assim será o concerto do Borealis Ensemble no dia 15 de outubro, no Auditório de Espinho.

Foi há cerca de 10 anos que Helena Marinho e António Carrilho se conheceram, na Universidade de Aveiro. Não tardou muito até perceberem o seu gosto comum pela interpretação de repertório histórico e contemporâneo. A sintonia foi tal que os leva a dizer que o seu duo foi “música à primeira vista”. Depois de ambos terem passado uma temporada na Noruega, decidiram aí inspirar-se para darem nome ao Borealis Ensemble.

As obras que apresentam levam o público numa viagem por entre geografias e tempos distantes entre si. Tanto as flautas de bisel (António Carrilho), como o pianoforte (Helena Marinho) atingiram o seu apogeu durante o século XVIII, mas será que as suas sonoridades têm limites de épocas?

O Borealis Ensemble acredita ser possível estabelecer-se um diálogo entre obras de tempos antigos com repertório recente de compositores portugueses através dos seus instrumentos. Surge, então, o projeto “Música Nova para Instrumentos Antigos”, apoiado pela Dgartes.

Os bilhetes estão à venda em www.musica-esp.pt ou localmente na Academia de Música de Espinho.