Concluída a 2ª fase da requalificação da estação arqueológica do Castro de Ovil

McDonalds_530x80_baixonoticia

 Foram consolidadas as estruturas e colocada sinalética para facilitar a navegação e interpretação dos locais.

A Câmara Municipal de Espinho promoveu uma visita guiada ao Castro d` Ovil, Sítio Arqueológico da Idade do Ferro no Lugar do Monte em Paramos onde foram concluídos os trabalhos de consolidação das estruturas, colocação de sinalética nos percursos e construção  de instalações sanitárias e arrecadação de materiais.

O Sítio dispõe agora de 11 painéis bilingues explicativos e didáticos instalados ao longo dos percursos pedonais.

Recorde-se que, numa 1ª fase, foram melhoradas as acessibilidades àquele espaço, com colocação de vedação e placas identificativas do Sítio.

O Presidente da Câmara Municipal de Espinho, Pinto Moreira, acompanhado do Vice-Presidente e Vereadores, do Presidente da Junta de Freguesia de Paramos e outros autarcas,  elogiou o trabalho realizado pelos técnicos  municipais e pelo empreiteiro da obra, pelo meticuloso trabalho que desenvolveram na excelente preservação e conservação das estruturas ali existentes.

Pinto Moreira salienta que o Castro d` Ovil é um sítio único no país porque” combina construções e percursos que datam da Idade do Ferro com património industrial do século XIX com uma envolvente ambiental atrativa e lúdica de assinalar.”

No local foram plantadas centenas de árvores autóctones para enriquecer a paisagem e tornar o local ainda mais aprazível e convidativo à população do concelho de Espinho, à sua comunidade escolar e aos turistas que também procuram alternativas ao sol e ao mar das nossas praias, sublinha o Presidente da Autarquia.

Pinto Moreira  anunciou  para o próximo ano  o início da terceira fase da obra, que vai contemplar a recuperação de um edifício em ruínas que fazia parte da antiga fábrica de papel do Castêlo e transformá-lo em Centro Interpretativo.

Os artefactos históricos recolhidos pelos arqueólogos municipais  que se encontram à guarda do Museu de Espinho serão recuperados e repostos na Estação Arqueológica do Castro de Ovil.

O Presidente da Câmara de Espinho considera estratégico para o Município este investimento municipal na recuperação de um espaço que estava ao abandono e que hoje faz parte dos roteiros culturais do país.

imagem/edição Diogo Proença

Artigos Relacionados