“Patinhas Sem Lar” com nova casa mas ajuda é sempre necessária

McDonalds_530x80_baixonoticia

A associação “Patinhas sem lar” nasceu há cerca de 4 anos e o que começou como “um pequeno projeto”, foi-se desenvolvendo e é hoje “um abrigo que, embora provisório, foi criado com muito esforço e dedicação”, explicou a presidente da associação, Alexandra Bastos.
Até hoje, a Associação já recolheu mais de mil animais, e tem atualmente uma centena de cães no abrigo, o que segundo a tesoureira da “Patinhas sem lar”, Paula Castro, “significa que a associação cumpre o seu objetivo de dar para adoção e ajudar outros”.
E foi no dia 13 de Outubro que a “Patinhas sem lar” reuniu cerca de duas dezenas de pessoas para apresentar as suas novas instalações, cedidas pelo grupo salgueiros. Embora este seja um espaço provisório, a presidente afirma que esta “Foi uma pedra fundamental porque sem eles não estaríamos aqui”, esclareceu.
Uma outra peça fundamental para esta associação são os seus voluntários. tal como afirma a tesoureira “Os voluntários têm sido incansáveis. são eles que se dedicam a ajudar, a conservar o espaço e a garantir a limpeza dos animais. são eles o futuro da nossa associação”, terminou.
Para além dos avanços a nível social, também foram realizados os primeiros passos para a associação a nível jurídico. Com isto, Alexandra Bastos afirma que “conseguimos que saísse a primeira sentença de condenação de maus-tratos a animais, no tribunal de Espinho”. acrescenta ainda que “temos de estar atentos e fazer o nosso caminho para sensibilizar as pessoas para esta causa”.
Por fim, a inauguração do espaço terminou com a visita guiada pelos voluntários às novas instalações e aos animais.

O FUTURO DA ASSOCIAÇÃO
Neste evento assinalaram presença os presidentes da Junta Freguesia de Paramos, Silvalde e Anta e Guetim, e ainda do Vereador Quirino Jesus, aos quaisforam atribuídos vários desafios.
Assim, a presidente solicitou a organização e a junção de todos os meios dentro dos pequenos orçamentos das Freguesias, de modo a ser possível lançar um trabalho pelo município fora.
Assim, os objetivos de Alexandra Bastos são “podermos fazer um trabalho conjunto de sensibilização das populações, principalmente ao nível das castrações”. Para além disso, pretende ainda realizar um trabalho de dinamização junto das escolas para trazer cada vez mais jovens para esta causa, porque sem eles, “as causas não existem no futuro”, disse.
A presidente termina ao afirmar que “O futuro da associação passa por comprar um espaço próprio”. Alexandra Bastos estabelece que, apesar de “não ser possível pôr esse objetivo já em concretização”, esse é um projeto a pôr em prática no futuro.
Para tal, são necessários “apoios, espírito de associativismo e voluntarismo”. uma das medidas a adotar, seria, segundo a presidente “a reformulação do aspeto estético e as funções da nossa loja no mercado municipal. essa loja foi cedida pelo município e queríamos tentar remodelá-la e começar a vender os nossos produtos de linha própria para dinamizar vendas e começar a angariar receitas para esse nosso projeto de compra de terreno”.

19000€ EM DÍVIDA NAS CLÍNICAS
Com a construção deste novo abrigo, todas as verbas disponíveis foram aí aplicadas. Mas os pedidos de ajuda para animais doentes, atropelados, etc, não pararam, e isso reflecte-se nas dívidas às clínicas veterinárias com quem trabalham. Devem um total de 19000 euros. Por isso, a Patinhas está a pedir a toda a comunidade um pequena ajuda, para conseguir saldar a dívida. Pode fazê-lo através do:
NIB 0045 1371 4026 1082 5454 1
MBWAY 938465633

Texto: Carolina Moreira

Artigos Relacionados